Enchentes aumentam riscos de contaminação por leptospirose em Roraima


 Portal Amazônia, com informações do Roraima em Foco


Foto: Governo de Roraima

Boa Vista - Com as enchentes ocasionadas pelas fortes chuvas dos últimos dias em Roraima, aumentam os riscos de contaminação por leptospirose. A Secretaria Estadual de Saúde de Roraima, através da Coordenação Geral de Vigilância em Saúde (CGVS) alerta para a contaminação da água da enchente.
A doença é transmitida, principalmente, pela urina dos ratos. A leptospirose é uma doença bacteriana, que afeta humanos e animais, causada pela bactéria do gênero Leptospira e causa sintomas como febre alta, dor de cabeça forte, calafrio, dor muscular e vômito.
Sintomas como olhos e pele amarelada, olhos vermelhos, dor abdominal, diarreia e erupções na pele também podem aparecer. Se a leptospirose não for tratada, o paciente pode sofrer danos nos rins, meningite (inflamação na membrana ao redor do cérebro e cordão espinhal), falha nos rins e problemas respiratórios.
Em casos de suspeita da doença, a pessoa deve procurar atendimento médico em unidades básicas de saúde da capital. Como a doença é comum em épocas de enchentes, a população deve evitar os lixões e dar o destino adequado aos resíduos. Desta forma, evita-se o acesso de roedores aos alimentos e lixos na cidade.
Nos últimos cinco anos, Roraima tem sete casos da doença registrados no Sistema Nacional de Notificações (Sinan/net). Os casos são referentes ao período de 2007 a 2011, quando as notificações começaram a ser feitas pelo sistema.
Em 2009 foram confirmados dois casos: um no município de Caracaraí e outro em Mucajaí. No ano passado, os municípios de Iracema e Uiramutã confirmaram um caso da doença, cada um. Este ano, ainda não foram registrados novos casos.
De acordo com o gerente do Núcleo de Controle de Zoonoses, Márcio Borges, as famílias desalojadas estão mais propensas a infecção pela leptospirose. Ele dá de ao retornar dos abrigos para as residências, os moradores devem fazer a descontaminação do ambiente domiciliar. O ideal é utilizar um copo de água sanitária para 20 litros de água. O produto deve ser utilizado para lavar os utensílios, paredes e móveis.
Luvas e botas devem ser utilizadas durante o serviço de limpeza da lama, pois as bactérias penetram no corpo humano, independente da pessoa apresentar feridas ou não. A atenção deve ser redobrada com relação às crianças impedindo que elas brinquem nas águas da chuva

Nenhum comentário:

Postar um comentário