Temporada de cruzeiros injeta R$ 15 milhões no Amazonas

30/04/2012
A temporada de cruzeiros atraiu 24 navios e uma movimentação de cerca de 25.136 turistas estrangeiros e brasileiros. 
Foto: Roberto Carlos/Amazonastur


Portal Amazônia, com informações da Assessoria. 

MANAUS- A chegada do transatlântico alemão Ms Bremen, no Porto de Manaus, na manhã desta sexta-feira (27), marcou o final da temporada de cruzeiros (2011-2012) no Amazonas. Totalizando 24 navios e uma movimentação de cerca de 25.136 turistas estrangeiros e brasileiros, esta temporada, com duração de outubro de 2011 a abril de 2012, superou em 27% a temporada passada (2010-1011) e injetou cerca de R$ 15 milhões na economia local.


Na temporada passada o Estado recebeu um total de 19.798 turistas. O volume de dinheiro injetado na Economia representa aumento de 15% em relação a última temporada, com R$ 13 milhões. O navio Bremen, oriundo de uma expedição da Alemanha, ficará até o início da madrugada deste sábado (28). O cruzeiro trouxe uma das menores parcelas de passageiros dessa temporada, com 240 visitantes, segundo o operador de turismo, Daniel Barreto.

Manaus decreta situação de emergência por conta da cheia

28/04/2012

O decreto foi anunciado pelo prefeito de Manaus por volta de 17h15. No Centro da capital, várias ruas já foram atingidas.

Foto: Semcom/Divulgação 

Redação Jornalismo portalamazonia

Plano de desastres


MANAUS – O Plano Emergencial de Resposta aos Desastres prevê ações como construção de pontes de madeira, ações básicas de saúde, como a distribuição de medicamentos e cartilhas, e a concessão do “Cartão Enchente” no valor estimado de R$ 400 para as pessoas cadastradas e comprovadamente prejudicadas pela enchente. A coordenação geral do plano informou que não serão distribuídas madeiras para a construção de “marombas”.

Além dessas ações, com o decreto de emergência, a Prefeitura de Manaus ganha poderes para entrar em casas para prestação de socorro, mesmo sem o consentimento do proprietário. O poder público também passa a ter autoridade para interditar propriedades que possam provocar danos a pessoas, bem como poderá desapropriar, pelo motivo de utilidade pública, propriedades particulares comprovadamente situadas em áreas de risco. 

Cresce número de flagrantes de embriaguez no trânsito no Amazonas

26/04/2012
Os casos foram contabilizados em fiscalizações de rotina do Departamento de Trânsito nas principais vias do Estado.


Foto: Divulgação



Fonte: Portal Amazônia

MANAUS- O Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran/AM) flagrou 269 pessoas dirigindo alcoolizadas no primeiro trimestre de 2012. No mesmo período do ano passado, foram 192 registros, um aumento de 40% no número de casos. Os casos foram contabilizados em fiscalizações de rotina do órgão nas principais vias do Estado. No mesmo período deste ano, 1.648 veículos foram apreendidos, contra 1.761 em 2011.

Segundo o órgão, o número reflete o empenho e a intensificação dos trabalhos de fiscalização. Levantamento realizado no último dia 20 até o dia 24, foram registrados 52 apreensões de veículos, sendo 24 motocicletas e 26 carros, além de dois caminhões. A fiscalização do órgão recolheu 11 Carteiras de Habilitação, a maioria em atraso. Nove pessoas foram autuadas por embriaguez ao volante e duas foram presas em flagrante por apresentarem CNH falsa.

Doentes se alojam em quiosque de praça

26/04/2012
Foto: Raynere Ferreira


Naira Sousa/Folhabv

Boa Vista - Doentes e sem ter onde morar, sete pessoas (duas mulheres e cinco homens) estão alojadas em uma lanchonete na praça Ayrton Senna, na avenida Ene Garcez, há 15 dias. Sem nenhum auxílio, elas sobrevivem na medida do possível, pois não possuem renda, já que renunciaram os trabalhos na região do Apiaú, no Município de Mucajaí, em busca de assistência médica em Boa Vista.

As pessoas são oriundas de outros Estados, como Ceará, Piauí, Maranhão e Pará, e vieram para Roraima em busca de empregos e melhores condições de vida. Ao chegarem, conseguiram trabalho nas fazendas da região do Apiaú. Mesmo a renda sendo pouca não desistiram das tarefas, de cozinheira, por exemplo. O salário pago variava de R$ 300,00 à R$ 400,00.

Desvio na BR-174 libera trecho Boa Vista/Venezuela

25/04/2012
Depois de três dias interditada, a BR 174 volta à trafegabilidade. Um desvio de 200 metros no trecho rompido liberou a passagem na rodovia.

Foto: Vanessa Vieira/Rádio Monte Roraima 





Emmily Melo jornalismo portalamazonia

BOA VISTA – A rodovia com mais de 900 km de extensão, que compreende Manaus/AM – Boa Vista/RR – Pacaraima/RR e, ainda, o único trecho terrestre que liga Brasil/Venezuela, foi interditada durante três dias em Roraima na última semana.

Devido a uma grande chuva, um bueiro na rodovia rompeu e gerou uma cratera de 10 metros na BR, no último dia 18. Com o grande risco de desabamento, a Defesa Civil interditou o local para impedir possíveis acidentes.

Cegueira dos rios: doença faz vítimas entre indígenas da Amazônia


A oncocercose causa cegueira em indígenas da etnia yanomami e yekuana, no Amazonas e Roraima

Wallace Abreu portalamazonia

MANAUS - A simples picada de um mosquito pode levar à cegueira irreversível. Nas últimas décadas, seis países enfrentam a proliferação desta doença. No Brasil, o problema atinge áreas indígenas yanomamis e yekuanas nos estados do Amazonas e Roraima.
Popularmente conhecida como “cegueira dos rios” ou “mal do garimpeiro”, a enfermidade chama-se oncocercose. Trata-se de uma doença parasitária, causada pelo verme Onchocerca volvulus,que se aloja no sistema linfático humano após a picada do simulídeo. O mosquito transmissor é conhecido na região amazônica como pium. Em outras regiões do País, é chamado de borrachudo.
Caso o verme se aloje no globo ocular, a cegueira no indivíduo infectado é inevitável. O Onchocerca volvulusdestroi os tecidos do visão gradativamente.
A doença passou a ser chamada popularmante de “doença dos rios”, porque o pium, mosquito transmissor, se reproduz nas águas dos rios.
A epidemia da doença começou em 1991, quando os Ministérios da Saúde da Colômbia, Brasil, Venezuela, México, Guatemala e Equador assinaram um tratado para o combate efetivo da doença.
Da iniciativa, resultou o Programa de Eliminação da Oncocercose para as Américas (Oepa). No final de 2011, a organização divulgou as últimas informações sobre a infestação nos países em questão. Os dados constatam a presença de casos de onconcercose apenas na Venezuela e no Brasil, revelando que após 20 anos, entre os 14 focos espalhados pela América Central e do Sul,  somente dois países ainda não eliminaram o problema.
Últimos dados divulgados pela OEPA, em novembro de 2011 / Arte: OEPA

Vinda nos navios negreiros
A onconcercose infiltrou-se nas Américas com a chegada dos escravos africanos, no início do século passado. Dados da Oepa destacam que há, pelo menos, 18 milhões de indivíduos infectados no mundo, a maioria (99%) em países Africanos. Esta é a segunda doença que mais causa cegueira no mundo, atrás apenas do glaucoma.
Nas primeiras décadas de proliferação da doença em países africanos, mais de 50% da população ficava cega antes dos 50 anos, por conta da infecção. Segundo a OEPA, em gerações passadas as crianças do continente africano eram educadas a considerar o fato com uma etapa normal do futuro.
Os casos de Oncocercose registrados no Brasil são nos estados do Amazonas e Roraima / Arte: OEPA

Transmissão
O pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), Victor Py-Daniel,  se dedica a estudos com a oncocercose desde 1991. De acordo com o especialista, através da picada do pium, as formas adultas do verme parasitam o ser humano, alojando-se em nódulos por baixo da pele. “No local, eles se reproduzem sexualmente. Nos 15 anos que sucedem a picada, são geradas inúmeras larvas minúsculas, chamadas de microfilárias, invisíveis a olho nu”, disse.
Por baixo da pele, as microfilárias se espalham pelo corpo humano. Após aproximadamente um ano, surgem os primeiros sintomas. “O alojamento debaixo da pele gera nódulos palpáveis, com alguns centímetros de diâmetro”, explicou o pesquisador.
Py-Daniel chamou a atenção para outros sintomas menos comuns, como coceiras, o enrugamento da pele, e até casos de febres constantes.


Quando a microfilária se aloja em vasos da retina, os degenera aos poucos, causando lesões. O globo ocular gradativamente torna-se branco até a perda total da visão. Segundo o pesquisador, normalmente a doença atinge pessoas mais velhas, mas casos em crianças e jovens também foram registrados.
Diagnóstico e Tratamento
Os nódulos de parasitas adultos são identificados por técnicas de imagiologia (tomografia computadorizada) ou por análise microscópica de amostra de biópsia. As microfilárias também são detectadas em biópsias da pele, ou vistas diretamente pela observação do fundo do olho com um oftalmoscópio.
Feito à base de ivermectina, o tratamento contra a doença dura 15 anos. A dosagem é única, com periodicidade semestral ou anual. Py-Daniel explicou que  já surgiram outros remédios para o combate à doença, porém eram muito nocivos à saúde humana. “A pessoa sentia mais problemas com o remédio do que apenas com a oncocercose”, frisou.
Conforme o pesquisador, os remédios disponíveis no mercado não matam o verme adulto. Há medicamentos,  em fase experimental, que são efetivos . “Assim teríamos um tratamento para acabar com a doença e não somente fazer um controle como acontece hoje”, disse Py-Daniel.
A doença fora das áreas indígenas
No final dos anos 80,  havia quase 50 mil garimpeiros em áreas yanomamis do Amazonas, Roraima e Venezuela. “Durante o Governo Sarney eles foram tirados da área, pois atuavam de maneira irregular. Na época, alertamos que quando os garimpeiros fossem retirados, fosse realizado o exame, pois estavam em áreas endêmicas. Os exames não foram feitos e os garimpeiros saíram para diversas áreas do Brasil e até mesmo para outros países da América do Sul, o que ocasionou uma proliferação da doença, que já foi controlada”, comentou Py-Daniel.


Telecentro beneficia moradores no bairro Compensa em Manaus


Em Manaus, até o fim do ano serão entregues 119 Telecentros, distribuídos por todas as zonas da capital.

Telecentros_Manaus




Ana Carolina Oliveira 

MANAUS - A inclusão digital significa melhora nas condições de vida de uma região ou da comunidade com a ajuda da tecnologia. A expressão nasceu do termo ‘Digital Divide’, que em tradição literal seria Divisória Digital. Dependendo do contexto, é comum ver expressões similares como democratização da informação, universalização da tecnologia ou outras variantes parecidas e politicamente corretas.

Em termos concretos, incluir digitalmente não é apenas alfabetizar as pessoas em informática, mas também melhorar os quadros sociais a partir do manuseio dos computadores. Uma das maneiras de incluir alunos e sociedade é o Telecentro, que em Manaus funciona em uma escola no bairro Compensa, zona Oeste da capital.

A coordenadora Valéria Sodré explica que o Telecentro é uma parceria entre o Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação e a Secretaria Municipal de Educação. Em Manaus, até o fim do ano serão entregues 119 Telecentros, distribuídos por todas as zonas da capital. Na Escola, o telecentro foi inaugura dia 12 de março e atende tanto os alunos do colégio como a comunidade em geral. Os horários são de 07 às 11h e de 13h às 17h, sempre de segunda a sexta-feira.

“A escola é o alicerce da Educação Básica, por isso não pode estar alheia às mudanças tecnológicas que acontecem na sociedade. A escola busca oferecer ao professor diversas ferramentas tecnológicas para facilitar a aula que ele vai dar aos alunos”, assinalou o gestor Zacarias Macedo.

A pesquisa sobre o uso das tecnologias da informação e da comunicação no BRasil, realizada anualmente desde 2005 – sob a coordenação do Comitê Gestor da Internet – revela não apenas um crescimento de acesso à computadores e internet, mas também aumento nas habilidades. Entre 2005 e 2009, o percentual de pessoas que declararam ser capazes de utilizar uma planilha eletrônica subiu de 18% para 28%.

O professor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), Alberto Castro, falou sobre o projeto Prouca, iniciado ainda no governo Lula. “O objetivo é ter um computador por aluno no País. Estamos em fase piloto no Amazonas. Nove escolas foram selecionadas e nelas todos os professores, alunos e apoio pedagógico tem um equipamento”, assinalou.

O notebook é sempre utilizado como material didático. O papel do projeto é dar apoio aos professores, no aspecto técnico e pedagógico para que eles saibam como melhor utilizar este recurso tecnológico. “O interessante é que se apropriem dessa tecnologia e a utilizem para formar um diferencial”, finalizou Castro.

Cineasta amazônico, Sérgio Andrade, reflete a região em produções

24/04/2012
Ele mostra a realidade regional quebrando tabus e clichês da floresta.

Sérgio Andrade/Arquivo Pessoal 




Yago Ferreira portalamazonia

MANAUS – A Região Amazônica ainda é uma área pouco explorada. A interpretação deturpada da localidade ofusca a sua riqueza e faz com que passe despercebida para muitos. O produtor de cinema, Sérgio Andrade, mostra diferentes realidades do mundo amazônico e do amazônida – quebrando tabus e fugindo de clichês indígenas -, ele mostra para o mundo o verdadeiro sentido da floresta.


Normalmente, as ambições do homem começam com os sonhos infantis, com Sérgio não foi diferente. “Sou fruto de uma alma inquieta. Aos 13 anos desenhava, pintava e inventava sonatas malucas no piano de minha mãe. Tive a oportunidade de ser figurante no longa metragem “Fitzcarraldo” de Werner Herzog, que estava sendo filmado no Teatro Amazonas. As luzes e a movimentação me deixaram encantado para sempre”, conta.

Longevidade em Maués chama a atenção de pesquisadores

23/04/2012
O caboclo amazônico tende a viver mais, e o segredo para tal caso pode estar em sua alimentação
Foto: Divulgação/MDA



Redação Jornalismo portalamazonia

MANAUS - Médicos e pesquisadores de todo o Brasil, com frequencia estão no municípios de Maués (distante 268 quilôemetros de Manaus), em busca de uma única resposta: Porque o povo de Maués vive mais?


O segredo da longevidade dos moradores deste município pode estar na alimentação. Segundo a geneticista e epesquisadora, Ivana Cruz, frutos amazônicos podem esconder mais benefícios, além dos jaá conhecidos e divulgados.


Cantor da dupla sertaneja Pedro e Thiago corre risco de morte, mas tem tudo para se recuperar, diz médico

21/04/2012
Foto: Divulgação

Fonte: G1


O diretor da UTI do Instituto Ortopédico de Goiânia (IOG), Wandervan Antônio Azevedo, informou, em entrevista coletiva na manhã deste sábado (21), que Pedro, filho do cantor Leonardo, corre risco de morte, mas que sua situação está controlada. “Há risco de morte, mas ele é jovem, tem boa saúde e tem tudo para que seu quadro evolua de forma positiva e ele se recupere”, afirmou.

O diretor informou também que Pedro está com pneumonia, mas que o quadro é considerado normal em pacientes que respiram com a ajuda de aparelhos, como é o caso do cantor. “É preocupante, mas, ao mesmo tempo, é um quadro esperado com esse tipo de paciente”, declara. O filho de Leonardo deve passar por novos exames até o final da manhã.

Dia do Índio: o que a Amazônia tem a comemorar?

20/04/2012
Nas aldeias e comunidades na Amazônia, as últimas notícias relatam mortes por H1N1, invasão de áreas indígenas e ameaça a isolados.


Wallace Abreu portalamazonia


MANAUS – Registros de óbitos de indígenas por H1N1. Terras indígenas que continuam sendo exploradas por garimpos ilegais. Madeireiras que seguem destruindo a diversidade amazônica em áreas indígenas. Índios que ainda vivem isolados na região e que estão ameaçados de sofrer influência externa por conta do chamado “turismo verde” e a prática de safáris humanos na Amazônia internacional.

No dia 19 de abril geralmente as crianças voltam da escola com um penacho na cabeça e cantarolando “musiquinhas” com temáticas indígenas. Uma festinha é organizada para comemorar a data e homenagear os índios. Mas, na prática, muitos indígenas, em suas comunidades, nem mesmo sabem que hoje é o dia deles.

Com piloto inconsciente, avião anda em círculos e cai no Golfo do México

19/04/2012
Pequena aeronave ficou desgovernada a 6 mil metros de altura. Avião foi escoltado por caças, e destino do piloto é incerto.
Imagem de radar divulgada pelo site FlightAware.com mostra o trajeto feito pelo avião desgovernado nesta quinta-feira (19) (Foto: AFP)

Fonte: Reuters com informação do G1


O piloto inconsciente de um pequeno avião particular sobrevoou em círculos o Golfo do México por horas nesta quinta-feira (19) , escoltado por dois caças militares norte-americanos, antes de ficar sem combustível e cair na água, disseram autoridades.

A Guarda Costeira dos Estados Unidos enviou um barco ao local do acidente, cerca de 193 quilômetros a oeste de Tampa, na Flórida. O destino do piloto do Cessna ainda era desconhecido, disse o porta-voz da Guarda Costeira norte-americana, o suboficial Steve Lehmann.

Satélites registram Floresta Amazônica vista do espaço

18/04/2012

O mapa produzido por Marc Simard mostra ainda características da floresta amazônica como as áreas de várzea.
Foto: Divulgação/Nasa


Portal Amazônia


MANAUS -O mapa produzido por Marc Simard mostra ainda características da Floresta Amazônica como as áreas de várzea. Os locais são frequentemente inundados pelas ágas dos rios e tendem a ser menor do que a floresta ao redor. As imagens também mostram o curso dos rios Amazonas e Japurá.


Albergues: opção de hospedagem na Amazônia

17/04/2012
Em Manaus, a hospedagem nesses espaços custam, em média, de R$ 20 a R$ 48 a diária

Foto: Divulgação/ Shutterstock 


Bruno Fonseca e Eliena Monteiro portalamazonia


MANAUS - Nas viagens para a Amazônia muitos optam pela hospedagem em albergues. Como se trata de uma opção de baixo custo, o turista pode empregar o dinheiro que seria usado para pagar o hotel em outros servios da viajem como passeios, transportes e alimentação. Também chamados de hostel, os albergues são acomodações simples, compactas e despojadas.

Em Manaus, a empreendedora Paula Pereira resolveu investir em um hostel. A ideia surgiu após uma viagem que ela fez com as filhas para a Chapada Diamantina na Bahia. “Conversando com o dono do hostel de lá, que era argentino, ele me sugeriu que fizesse um albergue em Manaus. Naquela época não tinha nenhum hostel aqui na cidade. A gente veio de lá com isso na cabeça, mas levamos cerca de dois anos amadurecendo a ideia até que surgiu a oportunidade”, contou.

Quase metade dos municípios do Amazonas em emergência


Defesa Civil Estadual decretou situação de emergência em 27 municípios. Deste total, 14 já receberam ajuda humanitária.

Foto: Flagilson Rabelo/Assessoria




Eliena Monteiro e Paulo Henrique Paixão/portalamazonia

MANAUS - A Defesa Civil Estadual decretou situação de emergência em 27 municípios do Amazonas, entre eles Anamã (a 165 quilômetros de Manaus). A subida das águas do Rio Solimões afetou as zonas rural e urbana da cidade.

Os moradores do local ergueram marombas para sustentar móveis e eletrodomésticos. “Quem é mais antigo diz que esse tempo vai logo passar, mas ninguém pode ter certeza”, disse a dona de casa, Simirames Silva. Ilhada, a aposentada Francisca Macedo pensa em mudar-se da cidade durante a enchente deste ano. “Para mim, é uma prisão perpétua. Prefiro ficar em casa e só saio por necessidade”, lamentou.

O município suspendeu as aulas devido as inundações. A Prefeitura vai transferir o hospital para uma balsa no beiradão (margem do rio). Pacientes com cirurgias marcadas serão removidos para Manaus. A enchente também obrigou a mudança de endereço da delegacia do município. O delegado Amarildo Andrade improvisou o distrito policial em uma residência. “Até o momento estamos pedindo passagem de um e outro para o deslocamento na cidade”, ressaltou.

Riscos

As casas inundadas também prejudicam a saúde da população. Os moradores temem a transmissão de doenças de origem hídrica, já que a maioria das casas utilizam banheiros sem tratamento de esgoto. O risco com animais peconhentos aumenta no perído chuvoso. A enchente inunda a floresta obrigando os animais a buscarem refúgio em locais secos. “Estes dias matei três cobras. Embaixo da minha casa há outras duas perdidas”, contou o ervidor público Emerson Júnior.

No amazonas, dos 27 municípios em situação de emergência, 14 já receberam ajuda humanitária do Governo. Outros cinco deverão ser atendidos nos próximos dias. O auxílio inclui cestas básicas, kits de higiene pessoal, kits de limpeza, kits de medicamentos, kits dormitório, kits de medicamentos, filtros microbiológicos, hipoclorito de sódio.

Na primeira etapa do atendimento as cidades, o Amazonas liberou R$ 850 mil, sendo R$ 100 mil para cada um dos sete municípios do Juruá (Envira, Eirunepé, Guajará, Ipixuna, Carauari, Itamarati, Juruá) e R$ 150 mil para Boca do Acre, no Purus. Segundo o Governo, um cartão solidário no valor de R$ 400 também foi liberado para ajudar cada família afetada nos mesmo municípios. O Governo Federal liberou R$10,5 milhões.

De acordo com o último balanço divulgado pela Defesa Civil, as enchentes atingiram 36.913 em todo o Estado.

Eletrobrás corta energia de prédios públicos em Boa Vista, por falta de pagamento

17/04/2012


Fonte: Folhabv

Boa Vista -A Eletrobrás Distribuidora começou a fazer cortes do fornecimento de energia elétrica dos prédios públicos do Governo do Estado e da Prefeitura de Boa Vista por falta de pagamento. São 33 prédios municipais e 37 estaduais atingidos pelos cortes.

Até o momento, há informações de cortes no Palácio da Cultura e no prédio da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), ambos localizados na Praça do Centro Cívico, e também nos prédios da Secretaria de Gestão Estratégica e Administração (Segad), no Palácio Latife Salomão e na Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). Também está sem energia o prédio da Secretaria Municipal de Finaças, no Centro, onde são pagas taxas, como a do IPTU.

Programa Ciência Sem Fronteiras contempla estudante roraimense


Julie Gai conquistou uma vaga na Alemanha pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA)
Foto: Arquivo pessoal




Emmily melo Jornalismo portalamazonia

MANAUS - A roraimense Julie Gai, de apenas 22 anos, foi contemplada pelo programa Ciência Sem Fronteiras em 2011.Tudo começou quando, ao concluir o ensino médio, a estudante mudou-se para Manaus para ingressar na faculdade de Engenharia Química, na Universidade do Estado do Amazonas (UEA).

Em 2011, a acadêmica viu a oportunidade de terminar a graduação na Alemanha, com as 32 vagas ofertadas pelo programa, divulgadas no site da UEA. Julie fez a inscrição, realizou todos os testes e recebeu aprovação.

Em março deste ano, a estudante seguiu viagem para a Universität Stuttgart, na Alemanha. Entusiasmada, Julie planeja continuar os estudos na Europa. “Vim para a Alemanha para fazer a minha pesquisa de TCC, devo voltar para o Brasil assim que a bolsa encerrar, como rege o regulamento do programa, mas caso eu consiga a aprovação no mestrado (o que pretendo) ficarei por aqui mesmo”, disse.

Na avaliação de Julie, muitos estudantes têm medo de se inscrever no programa, mas não sabem a oportunidade que a escolha representa para o futuro profissional. Conforme a estudante, apenas 10 acadêmicos se inscrevam na UEA para o programa no ano passado e, somente ela, e outra estudante, foram para a Alemanha.


Foto: Arquivo pessoal

“Grande parte das pessoas acha que é muito complicado, especialmente por causa do teste toefl – teste que mede o nível de proficiência em inglês -, mas não é impossível. Se você não tiver a nota mínima, você pode ser contemplado do mesmo jeito, só que além da bolsa, você ganha seis meses estudando inglês/alemão/idioma antes das aulas”, explicou a estudante.

Gastronomia, cultura e natureza lideram satisfação do turista

Pesquisa do Instituto Fecomercio com visitantes nacionais e estrangeiros revela o perfil do turista em terras amazônidas


Foto: Divulgação/Governo do Amazonas


Redação Jornalismo portalamazonia



MANAUS – Os sabores da cozinha amazonense são o principal atrativo para os brasileiros. Já entre os estrangeiros, quem ganha na preferência dos turistas é a cultura local. Dois pontos positivos que revelam o potencial do turismo local, muito além do verde da floresta. Os dados fazem parte da pesquisa ‘Comportamento do Turismo na Região Metropolitana de Manaus’, do Instituto Fecomércio.

Na análise do grau de satisfação do turista nacional, que visita Manaus, a gastronomia foi o item com o maior nível de satisfação – 94,5% dos entrevistados. Os atrativos culturais (93,9%), naturais (93,8%) e a hospitalidade manauara (92,4%) aparecem em seguida. A lista dos cinco destaques é encerrada pelo aeroporto da capital, que atualmente passa por reformas.

Em relação ao turista estrangeiro, se destacaram os atrativos culturais (94,0%), naturais (93,5%), hospitalidade manaura (88,5%) e hospedagem (88,3%). Uma boa surpresa veio com o nível de satisfação de 87,4% com relação aos guias e monitores de turismo locais.

Tantos pontos positivos fazem da capital amazonense um destino quase certo desses turistas que já conheceram as propriedades da região. A pesquisa mostra que, entre os brasileiros, 67,7% dizem que “certamente” voltarão a Manaus. Já com relação aos turistas de outros países, o número é menor (42,1%). Entretanto, outros 49,8% desses visitantes estrangeiros listam a capital como um “provável” destino de retorno no futuro.


Foto: Divulgação 



Pontos negativos

Mas nem tudo é positivo no turismo amazonense. Sob o ponto de vista dos turistas, o transporte público em Manaus ainda é o pior problema local, com críticas de 36,3% entre os entrevistados brasileiros e 34,9% entre os internacionais. Listam ainda na avaliação negativa problemas como segurança e limpeza pública. 

De acordo com o levantamento, 32,5% dos turistas nacionais e 33,4% dos estrangeiros reclamam da sujeira na capital. Além disso, a falta de policiamento é um problema apontado por 34,6% dos “gringos” e 27,4% dos brasileiros em passagem pelo Amazonas. Outros desapontamentos desse público se refere ao asfaltamento e telecomunicações. 

Perfil do turista 

Na busca de reconhecer os turistas que vêm injetar milhões de reais todos os anos no Amazonas, a pesquisa concluiu que, em janeiro, a maior parte dos visitantes brasileiros declarou ter renda familiar mensal inferior a R$ 2 mil. Já em relação aos turistas estrangeiros, a faixa de renda mais frequente foi entre U$ 6.169,65 e U$ 7.402,84, com 18,6% do total de entrevistado. 

Com essa média de valores, 22,3% dos turistas brasileiros pretende gastar em Manaus, durante a estadia, entre R$ 1,8 mil e R$ 2,4 mil. A estimativa de gasto entre os estrangeiros, no entanto, é menor: U$S 250, o equivalente a pouco menos de R$ 500. 

Em relação a organização da viagem, 10,9% dos turistas nacionais utilizaram os pacotes de viagem, 28,2% as agências e 60,9% os serviços avulsos. Já em relação aos turistas estrangeiros, a maioria (53,9%) utilizaram as agências de viagem. Observou-se ainda que a maioria tanto do turista nacional (83,9%) quanto estrangeiro (77,6%) procuram a baixa temporada. 

Na pesquisa, foi constatado que a cidade mais visitada do Amazonas, depois de Manaus, foi Presidente Figueiredo.

Sobe para 18 o número de municípios em estado de emergência no Amazonas

16/04/2012
Na somatória das 25 cidades monitoradas pela Defesa Civil do Estado, a cheia já atingiu 29.916 famílias.


Redação Jornalismo portalamazonia

MANAUS - Os municípios de Uricurituba, Careiro da Várzea, Nova Olinda do Norte, Itacoatiara, Caapiranga e Tapauá entraram em estado de Emergência devido às cheias no Amazonas. As cidades são atingidas pelas enchentes nas calhas do Médio Amazonas, Baixo Solimões, Madeira e Purus.

Segundo a Defesa Civil, 31 municípios devem decretar estado de emergência nos próximos dias. Desses, 18 já estão oficialmente em situação de emergência e 12 estão em análise.
Em informação anterior, o órgão avaliou que Caapiranga deveria entrar com o pedido de decreto de emergência até o dia 29 deste mês, quando o município estaria todo afetado pela enchente. A cheia já chegou à zona rural.

FIFA confirma Fan Fest da Copa 2014 com vista para Encontro das Águas

13/04/2012

A lista de locais também aponta o Parque de Exposições, em Cuiabá, como Fan Fest do evento esportivo no Estado.

Foto: Divulgação/AM


Redação Jornalismo portalamazonia


MANAUS- O Memorial Encontro das Águas é oficialmente o local escolhido pela Federação Internacional de Futebol (FIFA) para sediar o Fan Fest da Copa 2014 em Manaus. A confirmação foi anunciada, nesta sexta-feira (13), no site oficial da Federação. A lista de locais também aponta o Parque de Exposições, em Cuiabá, como Fan Fest do evento esportivo no Estado. O anúncio das 12 locações segue planejamento realizado junto às cidades-sedes do Mundial.

O local do Fan Fest no Amazonas deve ser entregue à população em menos de dois anos. As obras do Memorial estão previstas para iniciarem ainda no primeiro semestre deste ano. Com vista para o Encontro das Águas, o espaço terá, entre outros atrativos, um restaurante e uma área de exposição científica e cultural. O projeto desenvolvido pelo arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer está orçado em aproximadamente, R$ 50 milhões.

Deputados em RR recebem até R$ 60 mil por mês e 15º salário

12/04/2012
Por ano, cada parlamentar soma uma renda de pelo menos R$900 mil. Presidente da Casa lança desafio e diz que salário é justo
Cada parlamentar recebe um salário de R$ 20 mil por mês. Foto: Divulgação


Emmily Melo portalamazonia
BOA VISTA – O trabalhador brasileiro tem assegurado por lei o direito ao 13º salário. Os representantes do povo no Poder Legislativo Estadual, no entanto, além do 13º salário, recebem também um 14º, 15º, e em alguns casos, até o 18º salário. O caso foi apontado em matéria veiculada no programa Fantástico, da TV Globo, no último domingo (15).

Em Roraima, a reportagem procurou informações sobre os benefícios concedidos aos membros da Assembleia Legislativa do Estado. Conforme o levantamento, os deputados estaduais recebem 15 salários de R$ 20.025 mil por ano, além da verba indenizatória no valor de R$ 40 mil por mês, disponível para o ressarcimento do parlamentar durante as despesas no mandato. Cada um tem direito ainda a 30 funcionários e auxílio paletó.



Parte das cinzas de Chico Anysio chega a teatro em Fortaleza

12/04/2012
Após cerimônia, cinzas serão lançadas na cidade de Maranguape. Comediante morreu em 23 de março, no Rio de Janeiro. 
Esposa de Chico, Malga di Paula, e o governador do Ceará, Cid Gomes, levam cinzas de Chico Anysio. (Foto: Gabriela Alves/G1 Ceará)
Do G1 CE


As cinzas de Chico Anysio chegaram por volta das 9h30 desta quinta-feira (12) ao teatro que leva o nome do humorista no Bairro Benfica, em Fortaleza, conduzidas pela mulher do comediante, Malga di Paula, e pelo governador do Ceará, Cid Gomes.

Após cerimônia, as cinzas seguiram em cortejo até Maranguape, cidade natal de Chico, a 30 km de Fortaleza. O comediante morreu em 23 de março por falência múltipla de órgãos.


Doenças e desmatamento ameaçam indígenas isolados na Amazônia

12/04/2012

A Funai já catalogou mais de 60 grupos de indígenas que ainda não tiveram contato com a vida externa, nos nove estados da região.

Foto: Gleilson Miranda/Governo do Acre



Juçara Menezes portalamazonia

MANAUS – As madeireiras e os garimpos ilegais são duas chagas na Amazônia. Além de degradarem o meio ambiente, os dois setores ameaçam outro patrimônio da região: os povos indígenas isolados. As terras Araribóia, Carú e Awa (no Maranhão) e a Yanomami (em Roraima e no Amazonas) apresentam os casos mais graves de riscos de invasão do território intacto.

Ao portalamazonia.com, a Fundação Nacional do Índio (Funai) confirmou a existência de denúncias referentes a ameaças e exploração nas áreas onde vivem os povos isolados. O coordenador geral de Índios Isolados e Recente Contato da instituição, Carlos Travassos, assinalou a dificuldade em manter estes povos longe dos males do “homem branco”.

Lenda da Piripirioca


Fonte: portalamazonia


A tribo Manau vivia num lugar muito bonito da floresta amazônica. A tribo era conhecida pela beleza das mulheres indígenas. Um dia um índio estranho estava pescando no lago próximo a tribo. Era Piripari que pescava pirás.

Quando o bando de cunhãs da tribo Manau o avistou, elas se aproximaram para tentar conhecê-lo melhor. Uma delas falou: 

- De que terra vens, ó moço bonito? Tu és lindo feito a manhã. 

Piripari não as olhou, mas uma das índias botou a mão no ombro dele. Mal a mão tocou o moço, ficou toda perfumada. As cunhãs ficaram maravilhadas. 

- Moço, conta para nós qual é o teu segredo. Se não contares, o levaremos preso para nossa taba. 

Mas, ele apenas gritou: 

- Meu nome é Piripari! 

Ao gritar, ele pulou rapidamente no rio, e na linha de pescar levava três cunhãs. 

As outras moças pediam para ele não ir embora. 

- Piripari, não vás, somos amigas e te queremos bem. 

Elas esperaram por muito tempo que ele voltasse. Sentaram-se na praia e esperaram longamente pelo moço. 

No entanto, Piripari não voltou. Apenas o seu cheiro ficara no vento, um cheiro embriagador que envolvia toda a floresta. 

Lá longe, Piripari libertou as moças presas à linha de pesca. Ele disse a elas: 

- Não queiram pensar no meu amor. Ainda não é meu tempo de amar, não me esperem mais, cunhãs Manaus. 

Apaixonadas porém, as cunhãs permaneceram inconsoláveis na espera. 

Depois de muito tempo, vendo a tristeza das cunhãs, apareceu na tribo um jovem feiticeiro chamado Supi. Querendo ajudar as moças, ele disse: 

- Se o cabelo de vocês tocar Piripari, ele ficará preso. Quando a lua cheia vier, vão até a praia onde ele costuma estar e cada uma leve na mão um fio de cabelo para amarrá-lo. 

No dia marcado, as cunhãs foram para o rio. Ela viram Supi que estava pescando. Supi puxava a linha e tirou um peixe. Ele enterrou o peixe na areia. A lua subia bem alto. Elas viram que o peixe virava Piripiri. 

As cunhãs, devagarinho, com os fios de seus cabelos amarraram Piripari. Elas vibravam de contentes. 

Enquanto elas o amarravam ele olhava para o céu e cantava uma linda cantiga, mas ele não se mexia. Elas então queixaram-se a Supi: 

- Nós o prendemos, mas ele nem se deu conta. 

O feiticeiro tratou de tranquilizá-las: 

- Enquanto ele está cantando a alma dele passeia pelo céu, entre as estrelas. Não toquem no corpo dele, do contrário ele desperta e a alma ficará no céu. Logo que ele despertar, podem levá-lo para casa. 

No entanto, Piripari demorava a acordar. As cunhãs começaram a perder a paciência e diziam: 

_ Acorda, Piripari. 

Puraê, uma das cunhãs, chegou a tocar no ombro num gesto muito impaciente. 

Neste momento, Piripari se calou e a lua tornou-se escura. Soprou forte um vento frio e as cunhãs caíram em sono profundo. 

Quando elas acordaram, no mesmo local onde haviam deixado o corpo de Piripari estava uma pequena planta, uma plantinha apenas, mas de um perfume encantador. 

Neste instante, Supi se aproximou: 

_ Me escutem, cunhãs Manaus. Quem quiser cheiro de encanto, use no banho esta planta que desde hoje passará a se chamar piripirioca, a planta que nasceu de piripiri. 

E Puraê, a cunhã mais desobediente, de castigo, caiu nos braços de um sapo cururu gigante. 

As outras cunhãs, entristecidas, voltaram para a taba. Nunca mais Piripari foi visto à beira do rio ou cantando uma cantiga. Até hoje as caboclas da Amazônia usam a planta cheirosa para conquistar outros moços.

National Geographic elege Roraima como seu destino preferido no Brasil

11/04/2012
Foto: Divulgação


Fonte: Uol SP

O site da revista National Geographic, uma das mais respeitadas publicações do mundo, elegeu Roraima como seu destino de viagem preferido dentro do Brasil. “Com paisagens tão diversas, o caminhante se sente recompensado a cada passo que dá [dentro do Estado]”, diz a avaliação do staff da revista. “Na paisagem se erguem montanhas achatadas encobertas por neblina, que podem ser escaladas sem necessidade de conhecimento técnico ou equipamentos. Visite [o lugar] com um grupo; viajantes solitários irão curtir mais na companhia de um guia”.

Na mesma lista, a National Geographic ainda cita a reserva ecológica Xixuaú Xiparinã, localizada entre Roraima e o Amazonas, como um dos mais interessantes passeios dentro do território brasileiro. “É uma experiência amazônica genuína”, relata a publicação. “Trata-se de uma pequena vila amazônica afastada da civilização e erguida em meio a uma beleza extraterrena. No lugar, é possível entrar em contato estreito com a comunidade local, que ainda não se tornou empregada de empreendimentos ecoturísticos”.

Indústria madeireira é responsável pelo desmatamento em RR, aponta Ibama

10/04/2012
Pesquisa do Ministério do Meio Ambiente mostrou um aumento de 363% no desmatamento comparado com o ano de 2010
Foto: Divulgação/MMA


Emmily Melo portalamazonia


BOA VISTA – Levantamento do Ministério do Meio Ambiente (MMA) apontou alto no desmatamento em Roraima entre agosto de 2011 a março deste ano, comparados com agosto de 2010 e março do ano passado e liderou o ranking de desmate entre as localidades analisadas na Amazônia. O aumento está ligado a maior produção da atividade madeireira no Estado.

Segundo o chefe de fiscalização do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis em Roraima (Ibama), Cássio Mendes, o aumento na degradação ambiental pode estar relacionada a quantidade de indústrias madeireira na região sul do Estado. Ao todo, 56 indústrias estão instaladas no município de Rorainópolis – o que representa 90% deste mercado no estado – onde aconteceu o maior índice de desmatamento.

Ator amazonense é destaque no Brasil

09/04/2012
O ator Arthur Monteiro tem se destacado entre participações na TV
Foto: Acervo pessoal


Wallace Abreu portalamazonia

MANAUS - Como todo bom capricorniano, trabalhador, responsável, prático e disposto a persistir o quanto for necessário para conquistar seu objetivo, o ator amazonense, Arthur Monteiro, tem despontado em sua carreira artística no Rio de Janeiro. O jovem de 27 anos, nascido e criado em Manaus, gosta muito de ver filmes, peças de teatro, estar com a família ou entre amigos, ficar conectado com a natureza e praticar esportes. Arthur entrou para o meio artístico como modelo, mas logo alçou novos vôos.

Em entrevista ao Portal Amazônia, o ator relembra os fatos mais marcantes de sua carreira.

Cigarro de tauari espanta mau olhado, diz curandeira da Amazônia de 102 anos

O cigarro do tauari sempre foi usado pelos xamãs



Moacir Biondo e Juçara Menezes portalamazonia

MANAUS – Você conhece o cigarro de tauari? Quase uma raridade no Amazonas, é usado pela curandeira Dona Melica, de 102 anos de idade, para trabalhos espirituais.

Moradora da cidade de Parintins, no Amazonas, Melica assinala que quando um sujeito fumar o cigarro de tauari deve ter a intenção de passar energia positiva ao outro. “O efeito da fumaça que a gente joga na pessoa depende muito do estado espiritual dela. Se tiver alguma coisa pequena no encalço, ele sente um alívio. Se a coisa for grande, o sentimento é de choque”, explicou. 

A curandeira faz um alerta: ” Nem todas as pessoas que se dizem amigas na verdade te querem bem. Há gente fingindo dar alegria e carinho, mas toda esta felicidade é momentânea”. 

Para pessoas que têm o olho gordo (invejosos) por perto, Dona Melica indica uma baforada do cigarro de tauari na porta de casa. Deste modo, as urucas (mau olhado e desejos maldosos contra o outro) são espantadas pelos bons espíritos. 

Para arrumar marido ou namorada, Dona Melica sabe como, mas não conta o segredo. “Se falar qual planta ou folha usar, a pessoa pode ter o efeito contrário. O melhor é vir e trazer sua própria flor”, assinalou. 

A curandeira explica a composição do cigarro. Feito da madeira do tauri, há também canauaru (sapo amazônico de pequeno porte, mas produtor de um breu muito poderoso), tabaco e cumari – uma espécie de pimenta. 

A única dica de Dona Melica é na hora do banho. Quem precisa retirar o mau olhado, pode fazer um receita caseira. É só use na água cinco folhas de peão roxo que toda a inveja vai pelo ralo

Cigarro sempre foi usado em rituais

O cigarro do tauari sempre foi usado pelos xamãs (índios que utilizam a magia para o bem) e pelos umbandistas. Como parte do sincretismo religioso, é usado por vários povos indígenas, em toda a América do Sul.